As metas como desculpa

“O que era necessário era introduzir uma desculpa para termos mais cortes, mais aumentos de impostos, sem nenhuma justiça social, para facilitar os despedimentos, para precarizar o trabalho, para destruir o estado social. Enfim, era essa a desculpa que era precisa porque as metas, nem uma foi cumprida porque eram absolutamente instrumentais para converter toda a política em austeridade. (…) Mas como a nós nos interessam as metas é preciso reduzir a dívida, e para isso é preciso pôr a economia a crescer. Não podemos afundar-nos cada vez mais. (…) É preciso reestruturar para pôr um bocadinho do fardo da crise nas costas de quem a provocou e não sempre nas costas dos mesmos.” –  Marisa Matias (Conselho Superior – Antena 1) 10/07/2015 – a propósito das declarações de Pedro Passos Coelho sobre o programa de ajustamento.