E agora, Grécia? E agora, nós?

FullSizeRenderEntre a desilusão e o festejo vai um caminho enorme. Deste lado pesa a desilusão, claro. Mas nada é a preto e branco, como sempre. A pergunta que mais ouvi hoje foi: podes explicar a posição do Syriza? Nada mais sintomático. Estamos mesmo num processo de luta de classes e não estamos a ganhar. Se estivéssemos, os olhares seriam noutra direcção. Seriam: podes explicar a posição das instituições europeias? Mas não foi essa a pergunta e há várias razões para isso. Estando o acordo alcançado na esfera do indefensável, vamos por partes.

Durante a reunião de ontem do Eurogrupo, e mesmo depois, durante a Cimeira, o governo grego enfrentou ameaças e chantagens que teriam sérias consequências para o povo grego, antevendo um plano concreto de isolamento completo do país a concretizar-se já na quarta-feira, e a vários níveis, incluindo o colapso dos bancos e a falta de provisões de todo o tipo. Continuar a ler